Home

SISTEMAS DE ALUMÍNIO E PVC PARA A ARQUITETURA

* zonas de acceso restrito
Vila do Conde: +351 252 637 598 – Rio Maior +351 243 909 430

PROJETOS AD HOC

Consciente de que cada projeto arquitetónico apresenta as suas próprias singularidades e identidade, a CORTIZO conta com uma área específica, integrada no seu Departamento de Arquitetura e Engenharia, que se dedica de forma exclusiva à realização de projetos ad-hoc para dar resposta à liberdade criativa do arquiteto.
 

 

Desde esta área, baseada na flexibilidade e na inovação, os  profissionais da CORTIZO colaboram, lado a lado, com o coletivo de arquitetos, fachadistas e instaladores para desenvolver soluções específicas que garantam a perfeita integração dos sistemas CORTIZO no espírito arquitetónico de cada projeto.

 





DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA AD-HOC: NOVA SEDE CORPORATIVA DE IDOM EM BILBAO 

 

Participar na nova Sede Corporativa do Grupo Idom em Bilbao, foi para a CORTIZO um ambicioso desafio desde o início. As exigências que imprimiam um projeto de tal envergadura, assinado por uma das principais referências da engenharia a nível mundial, não constituíam uma tarefa simples.

A estreita colaboração, lado a lado, entre o Departamento de Arquitetura e Engenharia e a Divisão de I+D+i em Fachadas Ligeiras da CORTIZO com Javier Pérez Uribarri, autor do projeto e à frente de ACXT, a empresa de arquitetura da engenharia de Bilbao, foi primordial para assegurar a correta materialização da liberdade criativa do arquitecto e, ao mesmo tempo, conseguir maximizar as rigorosas premissas de sustentabilidade e eficiência energética definidas. Tudo isto acompanhado pela exemplar execução levada a cabo por VIFASA, empresa especializada desde há mais de 20 anos na execução integral de fachadas envidraçadas e coberturas a nível nacional, que soube, além disso, ajustar-se a prazos de execução restritivos.

 

Localizado no antigo depósito franco do Canal de Deusto do Porto de Bilbao, o projeto responde à inovadora e colorida recuperação de um velho armazém portuário da alfândega que hoje alberga cerca de 700 profissionais. Com uma superfície de 14.400 m2, distribuídos por 5 pisos, dedicados a escritórios, espaços de investigação e desenvolvimento e espaços sociais, a nova Sede Corporativa do Grupo Idom, destaca-se como o novo ícone da capital Biscaia.

Um dos objetivos do arquiteco foi dotar a envolvente arquitetónica do edifício de uma grande singularidade para isso recorreu a uma solução de revestimento interior entre lajes executada com a Fachada Intercalar, e um revestimento exterior de lâminas de 600 mm., desenhadas “ad-hoc” por Pérez Uribarri, que “proporcionam una elevada proteção solar, sem comprometer as vistas desde o interior, para ajudar a controlar a radiação solar e, por tanto, o consumo energético”, afirma o autor do projeto.

 

 

“A Fachada Intercalar, que funciona como revestimento geral exterior, tomou a forma de módulos verticais de visão consecutiva, separados por módulos opacos para conseguir ocultar os pilares interiores”, aponta Domingo Brión, Diretor do Dep. de Arquitetura e Engenharia da CORTIZO. “Em relação à sua colocação o sistema foi montado como módulos entre lajes e os seus perfis adoptaram a secção necessária por cálculo para adaptar-se às exigentes condições da envolvente da obra. Exteriormente consegue-se a horizontalidade dos módulos, devida à ausência do perfil na direção vertical, possível, graças à flexibilidade do sistema. Optou-se por colocar uma tampa plana, perimetralmente, para poder dar lugar aos encontros de diferentes materiais em obra. Para dar acesso restrito a manutenção à zona exterior de tramex, recorreu-se ao sistema Cor 60, mantendo a estética exterior, através da colocação de vidro colado sobre o sistema em questão”.

 

Segundo Pérez Uribarri, “o revestimento exterior das lâminas constitui a extensão de um imaginário manto verde conformado por una fachada vegetal depositada na cobertura do edifício, como algo que se estendeu pela fachada com “pregas”. “Durante o processo de projeto desenvolvemos vários e multiplos desenhos descartando-os finalmente por uma solução horizontal, a de ótimo equilíbrio entre estética, custo e manutenção. Que contasse com uma trama muito densa de lâminas e com uma projeção de, pelo menos, 600 mm para conseguir o sombreamento requerido pelo projeto térmico do edifício”, afirma o arquiteto de ACXT.

Como condicionantes do proseto apresentaram-se, por um lado, a necessidade de sujeitar a lâmina, unicamente pela sua parte posterior, e por outro lado, a resistência às solicitações combinadas do peso próprio, carga de neve e pressão e sucção do vento.

“Com o objetivo de otimizar o desenho inicial do arquiteto, desde a Cortizo apresentou-se uma alternativa mais ajustada às possibilidades reais de extrusão e montagem. Constava de um perfil base suficientemente resistente e de dois corpos cravados entre si e, ao mesmo tempo, com o perfil base, assegurados por uma uma fixação mecânica através de parafusos aplicados com um determinado espaçamento”, afirma a Direção da Divisão de I+D+i em Fachadas Ligeiras da CORTIZO.

 

 

Uma vez adjudicada a obra ao instalador, a empresa fachadista VIFASA, realizou-se um recálculo fino das cargas e solicitações, através de um software de Elementos Finitos, que evidenciou que a lâmina necessitava de algo mais de consistência para o suporte pelo que finalmente se optou por derivar a parte resistente da lâmina a um elemento de aço, que ficaria oculto uma vez montado o corpo principal. Também se reforçaram os corpos da lâmina acrescentando-lhe mais duas nervuras centrais por corpo. Por último, desenhou-se um sistema de clipagem que permitia um rápido posicionamento do corpo secundário e que a gravidade e geometria do mesmo levariam à sua posição correta imediatamente. Uma fina lâmina de neoprene encarregou-se de assegurar que não existisse contacto algum em nenhum ponto entre o suporte e o corpo principal da lâmina, que requeria, isso sim, uma mecanização específica para permitir a penetração do casquilho em “U”.

 

Imagen

Por outro lado, a localização do edifício, nas imediações do rio Nervión, comprometia os sistemas de fachada expondo-os à corrosão devida ao ambiente marinho, e a umas cargas de vento muito elevadas (grau de rugosidade da envolvente = I -junto ao mar ou lago-, segundo CTE), o que se resolveu com um lacado cor RAL-6010 mate mediante pintura de super poliéster Classe 2 de alta durabilidade, com uma espessura sempre superior aos 80 microns.

 

Os vãos da zona de descanso localizada nos pisos da cobertura foram executados com a série Cor Vision CC. Este sistema de correr com rotura de ponte térmica conta com uma secção vista de, unicamente, 20 mm no elemento central o que estimula a luminosidade das estâncias e permite aos seus utilizadores desfrutar, em maior medida, da privilegiada envolvente.

Nas zonas de saída de emergência, recorreu-se à Porta Millennium Plus, pela sua estética faceada, a sua robustez e as suas elevadas prestações térmicas e acústicas.

 

 O edifício conta com inovadoras medidas de eficiência energética como painéis fotovoltaicos, torneiras e equipamentos sanitários de muito baixo consumo, armazenamento de água da chuva na cobertura, sistema de regulação automática da iluminação, e um singular sistema de difusão por deslocamento e climatização por água, que unidos às lâminas de proteção solar e aos sistemas de caixilharia ecoeficientes da CORTIZO, lhe conferem uma economia energética de 60% do consumo normal de um edifício desta tipologia.

CRIATIVIDADE :: AACCENTIA :: REALIZAÇÃO